História de Senhora dos Remédios

senhora-dos-remedios1

Embora não sejam bem conhecidos os detalhes históricos da fundação do Município, sabe-se que os índios habitaram a região. Como em outros históricos de municípios, sabe-se também da presença dos bandeirantes, pois os mesmos embrenharam-se pelo Estado em busca de ouro e para captura de índios.

Segundo consta no Livro Censo Cultura de Minas Gerais -Guia da Região Central – o povoado que deu origem ao Município de Senhora dos Remédios desenvolveu-se nas redondezas de uma fazenda, denominada Fazenda do Capote, de propriedade de uma baronesa espanhola. A baronesa, devota de Nossa Senhora dos Remédios, mandou vir da Espanha uma imagem em tamanho natural, talhada em cedro. Ergue-se então, uma pequena capela em homenagem a Santa e iniciou-se o povoamento da região.

Atribui-se também a outras pessoas a construção da capela e a devoção à Senhora dos Remédios, com isto, questiona-se também o início do povoado.

Já cogitavam requerer uma capela para atender os povoadores, os quais demonstraram grande espírito de coletividade ao convirem em que a capela deveria atender ao público. A idéia já seria consensual em 1764, à visita do Governador Luís Diogo. Contudo, o consenso terminava aí. Vários partidos formaram-se, cada qual pretendendo a honraria de ter a capela na fazenda. Queriam-se uns com a Vargem Grande, outros com os Vargas, e outros com a Fonte Grande, local que prevaleceu.

Obtida uma concordância preliminar, representaram os moradores ao Vigário-Geral Governador do Bispado de Mariana, D. Inácio Correia de Sá, solicitando licença para erigir uma capela com invocação de Nossa Senhora dos Remédios. A petição se perdeu, mas dá para supor que Manuel Vieira Barbosa e Bento Gonçalves de Oliveira, Signatários, conseguiram pois foi deferida em 20-03-1765.

Quanto ao orago da Capela, deve ter sido escolhido por ser Nossa Senhora dos Remédios uma devoção comum entre os proponentes da criação, a maior parte oriunda do Norte de Portugal, onde, inclusive, há o Santuário dos Remédios.

Em 28-06-1768, a Capela obteve Provisão de Pia Batismal.

Em 31-01-1775, a Capela necessitou de novo Patrimônio que foi doada por Antônio Ferreira Mendes. Somente em 05-10-1870 pela Lei n° 1.723 o povoado foi elevado a Freguesia com o nome de Remédios. Foi suprimida por Lei de 01-12-1873, e restaurada com a mesma denominação – Remédios – pela Lei n° 2.085 de 24-12-1874.

Em 1872, houve o início da construção da Igreja do Rosário.

 

Gentílico: remediense

 

Formação Administrativa

Pela Lei n° 843 de 07-09-1923, passa ao Município de Barbacena como Distrito de Remédios.

Em 31-12-1943, o Decreto-Lei n° 1.058 dá ao Distrito o nome de Angoritaba – que em linguagem indígena significa -lugar de consolo espiritual – nome este que não teve receptividade por parte dos habitantes locais.

Em 12-12-1953 pela Lei n° 1.039 Angoritaba é elevada a Município com o nome de Nossa Senhora dos Remédios. Por haver um distrito com igual topônimo o nome foi substituído por Senhora dos Remédios.

Alteração Toponímica Distrital

Pela Lei Estadual n° 2.764, de 30-12-1962, foi criado o Distrito de Palmital dos Carvalhos.

 

 

Fonte: http://www.cidades.ibge.gov.br/

 

Copyright © GUIA DA ESTRADA REAL - O seu guia de bolso