História de São Gonçalo do Rio Preto

matriz-sao-goncalo

Já residiam nesta região grandes famílias, nos meados do século XVIII, pouco se sabe o que as levaram para aquelas paragens. Foram conhecidas por D. João VI, em 1757, com a vinda do Dr. José Jorge da Rocha Gonçalves, morador de Bonfim (hoje povoado pertencente ao município. Neste povoado nasceu também Dom João Antônio dos Santos em 12-11-1818, primeiro Bispo de Diamantina, onde mais tarde faleceu; era irmão do grande jurisconsulto Joaquim Felício dos Santos). Este Sr., Dr. José Jorge, tinha documento que autorizava o uso do Brasão Real, dado pelo Rei de Portugal.

Estas famílias que para ali foram, certamente estabeleceram-se com o intuito de formarem propriedades de exploração agrícola naquelas terras que eram bastante férteis, para o abastecimento da região, inclusive o ?Tijuco?, que era o centro consumidor mais importante da época.

Esta localidade, como era passagem de estrada de ligação para outras regiões foi sem dúvida o que deu início à povoação por aquelas famílias que proliferaram na região. Iniciou-se em um ponto propício para a comercialização dos seus produtos, à beira da estrada um pouco acima da margem esquerda do Rio Preto, recebendo o primeiro nome do próprio Rio que a margeia. A povoação floresceu, conforme atesta o Dr. Joaquim Felício dos Santos, em seu livro Memórias do distrito de Diamantina, que ?em 1734, já floreciam importantes povoações, dentre elas Rio Preto?.

Em 1747, Felisberto Caldeira Brant, principal contratador dos diamantes do Tijuco, e outros, lá estiveram em suas viagens à procura da pedra em destaque, o diamante.

Gentílico: são-gonçalense

 

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Rio Preto, pelo alvará de 08-10-1821 e por lei estadual nº 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de Diamantina.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Rio Preto figura no município de Diamantina.

Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de I-IX-1920, o distrito aparece com a denominação de São Gonçalo do Rio Preto.

Pela lei estadual nº 843, de 07-09-1923, o distrito de São Gonçalo do Rio Preto ex-Rio Preto passou a denominar-se Felisberto Caldeira.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Felisberto Caldeira ex-São Gonçalo do Rio Preto figura no município de Diamantina.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII­1937.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito de Felisberto Caldeira permanece no município de Diamantina.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o distrito de Felisberto Caldeira permanece no município de Diamantina.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

Elevado à categoria de município com a denominação de Felisberto Caldeira, pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, desmembrado de Diamantina. Sede no antigo distrito de Felisberto Caldeira. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-03-1963.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de I-VII-1983.

Pela lei estadual nº 9223, de 01-07-1986, o município de Felisberto Caldeira passou a denominar-se São Gonçalo do Rio Preto.

Em divisão territorial datada de 18-VIII-1988, o município já denominado São Gonçalo do Rio Preto é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

 

 

 

Fonte: http://cidades.ibge.gov.br/

 

Copyright © GUIA DA ESTRADA REAL - O seu guia de bolso