História de São Bartolomeu

sao-bartolmeu

São Bartolomeu é uma das localidades mais antigas da região do ouro. O rio das Velhas atravessa o centro do distrito

e, por isso, pequenos acampamentos já existiam no local por ser ponto obrigatório de passagem dos bandeirantes, antes mesmo do descobrimento do Ouro Preto. Assim, como a maioria das localidades daquela região, São Bartolomeu recebeu grande quantidade de habitantes em decorrência da crise de fome que assolou Vila Rica em 1700/1701. A primeira capela foi edificada em louvor a Nossa Senhora do Rosário numa fazenda situada um pouco ao norte do distrito, depois edificaram uma ermida para São Bartolomeu, situada no centro da propriedade de mesmo nome.

A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário não consentiu a demolição de seu templo, pois os devotos de São Bartolomeu consideravam o local o ponto mais firme para construção do templo porque não era inundado pelas enchentes e aquela era a clareira mais ampla do local. Depois de muito discutir, chegaram a um acordo: a nova igreja seria construída no centro da vila, mas manteria intacta a capela mor. do Rosário. A lateral direita da igreja de São Bartolomeu é composta pelo altar mor dos dois retábulos laterais da antiga capelinha do Rosário. Uma particularidade desta igreja é a existência de um sino de madeira, construído para compor a torre.

São Bartolomeu foi grande centro comercial do século XVIII, a rua central era toda tomada por comércios e depósitos de mercadorias. As fazendas de São Bartolomeu se desenvolveram e a agricultura estava presente em todo o local. Devido à abundância de frutas, os habitantes do lugar iniciaram a fabricação de doces, sendo o mais famoso a marmelada. As festas dos santos eram as mais importantes: a de São Bartolomeu, festejada no dia 24 de agosto realizava-se com a do Santíssimo Sacramento. As festividades começavam no dia 22, após a novena levantasse o mastro do Divino.

 

No dia 23, tinha alvorada de fogos, missa e durante todo o dia tinha fogos. Tudo começava com o boi da manta. Também se realizava a festa em louvor a Nossa Senhora das Mercês, em cuja devoção foi erguida uma bela capela do outeiro da vila. Como a maioria das casas da rua central possuía um oratório, uma atividade comum ao lugar era a reza diante deles, seguida de um café com guloseimas, oferecido pelo dono da casa.

 

Para sobreviver, a população se dedica à agricultura e à fabricação de doces. Nos quintais são montados pequenos fogões à lenha e o doce é sempre cozido em tachos de cobre. Todas as famílias de São Bartolomeu sabiam fazer doce. As que não vendiam, faziam para consumo doméstico.

 

Em meados do século XX, inúmeras mineradoras instalam-se nas regiões vizinhas. Na década de 70, a introdução da luz elétrica e da televisão fez com que os hábitos noturnos se modificassem. O distrito também ganha canalização de água e esgoto, ampliação da escola, posto de saúde e uma linha regular de ônibus. Quem chega a São Bartolomeu tem a impressão de voltar no tempo. Casinhas enfileiradas, a igreja no centro da praça, o rio das Velhas, a exuberante natureza. Para quem busca calma e tranquilidade, São Bartolomeu é o lugar ideal.

 

 

 

Fonte: http://www.desenvolvimentistas.com.br/

 

Copyright © GUIA DA ESTRADA REAL - O seu guia de bolso