Pontos Turísticos-Resende Costa

Fazenda do Andrade

A sede da Fazenda do Andrade foi erguida nas proximidades do Curralinho dos Paulas, no município de Resende Costa, antigo Arraial da Laje. É banhada pelo Córrego do Andrade. Seu nome original era Capão Fundo. Passou a ser chamada Fazenda do Andrade por ter pertencido a um certo Andrade de Passa Tempo. Suas terras somavam 280 alqueires (mais de 1.355ha). Na época, não tinha ainda casa de morada, mas já estava em construção o engenho, quando morreu o tal Andrade. Como sua viúva não conseguiu meios para pagar o arrolamento, a propriedade foi a leilão e arrematada por João Evangelista de Souza Maia, na segunda metade do século XIX. Foi ele quem construiu a sede, cuja obra foi executada por oficiais levados de Tiradentes. Sua construção e organização contou com requintes que incluem a ermida dentro da casa provida até de harmônio.

Seu sucessor foi o filho de Antônio de Souza Maia, casado com Maria Carolina de Oliveira. Lembram ainda que os Maias importavam roupas finas da Europa, usadas em ocasiões festivas no arraial. Ao herdeiro, Francisco de Souza Oliveira, tocaram 60 alqueires de terras (290ha) de cultura e campo, mais uma casa de vivenda (habitação mais ou menos suntuosa), sede da Fazenda do Andrade. Consta que este herdeiro recebeu a fazenda em estado de conservação precário.

A casa da Fazenda do Andrade foi implantada na base de um morro que termina numa extensa e larga várzea, tendo ao fundo colinas onduladas, descortinando-se, bem distante, uma serra azulada, delimitando a linha do horizonte. A casa fica sobre porão alto. As portas de madeira têm a particularidade de possuírem alguns portais ocos para esconder armas (costume da época).

Soma a casa 17 cômodos, incluindo cozinha, banheiro e pequeno compartimento que antecede o banheiro. O tamanho da casa, entretanto, evidencia ter sido ela edificada para família numerosa com quartos especiais para hóspedes e para outro modo de vida. Embora não se tenha a data precisa de sua construção, suas características revelam as de casa do século XIX. Mesmo assim, numa restauração, encontraram-se telhas com a data de 1650. A cobertura de pedra-sabão em muros da frente, também é de época anterior ao século XIX. Como no inventário de Antônio de Souza Maia Costa consta a existência do Sobrado dos Lopes em ruínas nessa propriedade, levanta-se a hipótese de ter sido construído em século anterior e que elementos tenham sido aproveitados em restauração da sede da Fazenda, que já se encontrava bastante deteriorada na época do inventário, em 1921. Atualmente, está bem cuidada, com boa aparência, e mantém sua autenticidade.

 

Praça Professora Rosa Soares Penido – Rafael Alves

Praça e monumento em homenagem dos Resende-costenses a benemérita mestra Rosa Soares Penido.

Curralinho dos Maias

Os baluartes da família Resende deram o nome ao antigo Arraial da Lage, que veio a se chamar, já nos idos do século XX, Resende Costa. Uma família deu nome a um lugar. Isso foi comum em várias localidades, onde figuras ilustres cederam seu nome ou sobrenome para caracterizarem cidades, distritos, rodovias e povoados. Em Resende Costa, destacam-se: povoado dos Pintos (homenagem ao Coronel Felisberto Pinto), Curralinho dos Paulas (sobrenome de uma família proprietária de uma grande fazenda que deu origem à comunidade), Curralinho do Andrade (herdou o nome do fazendeiro da cidade de Passa Tempo, que construiu a Fazenda do Andrade, atual propriedade do Sr. José Geraldo de Resende, Lalado) e Curralinho dos Maias, povoado que iremos apresentar nesta reportagem.

O viajante que se põe a andar por aquelas paragens não vai encontrar, além da beleza geográfica, grandes atrativos, em se tratando de um povoado plenamente constituído. Algumas casas foram erguidas ao lado de uma escola construída na década de 80, pelo então prefeito municipal Ocacyr Alves de Andrade. Ao contrário do que aconteceu na grande maioria das comunidades Resende-costenses, nos Maias o povoamento não se deu em torno de uma capela ou cruzeiro. Até porque o cruzeiro – marco religioso do lugar – encontra-se distante da povoação, juntamente com o campo de futebol.

A história do povoado está ligada diretamente a três fazendas: Fazenda Estiva, antiga propriedade de Cristóvão Maia; Fazenda Casinha e Retiro Velho. Infelizmente a Fazenda Casinha já foi demolida, existindo atualmente o alicerce e na memória dos moradores mais antigos da região. O sobrenome “Maias” aparece na identidade da maioria dos habitantes do Curralinho e arredores. Não é nosso objetivo fazer um trabalho genealógico, porém apenas constatar que era um sobrenome comum tanto em fazendeiros como Cristóvão Maia, bem como em agregados de fazendas. Segundo apuramos (pela fonte oral), o sobrenome veio da região de Desterro de Entre Rios, vindo a se espalhar pela região que, no final, o herdou.

Mirante das Lajes de baixo

As Lajes de baixo, como é conhecida, oferece aos seus visitantes uma linda vista do nascer do sol.

mirante das lajes de cima

 Mirante das Lajes de cima

 As “Lajes”, como é conhecido o Mirante de Resende Costa, oferece aos seus visitantes uma linda vista das montanhas do interior de Minas Gerais.Um ótimo lugar para descansar e meditar!

 Curralinho dos Paulas

Um dos encantos da Cidade das Lajes é poder andar quilômetros em estrada de terra e gozar de paisagens absolutamente encantadoras. Em cada canto que se vai, a natureza desvela suas formas diversas, perfeitas e generosas. Pode-se dizer que em Resende Costa as paisagens naturais se abrem aos nossos olhos com tamanhas possibilidades, tal como um leque multicolorido.

Em meio a montanhas, cerrados, cachoeiras e pedras, ao longo dos anos, nossos antepassados foram se fixando. A identidade do nosso município foi sendo formada a partir das características próprias de cada lugar, aonde coronéis iam cravando suas divisas. Do belo platô de serras surgiu os Campos Gerais; de um lugar de terra vermelha, de onde saiu muito minério, hoje é o Barro Vermelho; um ribeirão que serpenteava entre grandes propriedades de nossa região foi renomeado em maiúsculo para Ribeirão de Santo Antônio. E assim tantos outros lugares.

Cada nome revela a força, a cultura e a tradição dos aglomerados urbanos. História, personagens, lendas e religiosidade foram fundamentais para a caracterização de vários lugares e povoados do nosso município.

Os detalhes realmente conceituam. No passado, uma grande mata foi derrubada, deixando uma imensidão de toras de madeira ao chão. Que lugar é esse? Tabuado. Uma comunidade formou-se onde antes era o curral da grande fazenda da família Paula. De que lugar estamos falando? Curralinho dos Paulas, que é o cenário desta história que apresentamos.

Contar a história do surgimento de um povoado é algo encantador, pois revela, sem muitas diferenças, o que era e continua sendo vital, quando pessoas se juntam em comunidade. Em nossa região não se vive sem religião e sem, pelo menos, uma pequena venda (nome utilizado nos povoados para caracterizar as mercearias). As casas que constituem os povoados surgiram ao redor de uma capela ou cruzeiro e, certamente, de uma pequena venda. Isso revela a vida relativamente simples do homem da roça. Sem muita sofisticação e oportunidades, divide seu tempo entre o trabalho, a fé e o indispensável bate-papo com os companheiros na venda.

Conceição do Curralinho dos Paulas, primeiro nome do povoado, surgiu nesse contexto. Situado num lugar em que antes reinaram grandes fazendeiros, a comunidade traz vestígios claros do passado escravista. Não se pode afirmar com precisão, mas cogita-se a idéia de que as primeiras pessoas que habitaram o local foram escravos fugidos de algumas das grandes propriedades que circundavam a região, como a Fazenda Pinheiros. Segundo a historiadora Maristela de Oliveira Peluzi, em sua dissertação intitulada “Os grandes proprietários escravistas do Distrito da Lage (1830 – 1850)”, a Fazenda Pinheiros era vista como grande propriedade, de acordo com os padrões da Comarca do Rio das Mortes. No inventário de 1848, consta que o Capitão José Lopes Picada possuía, dentre inúmeros bens de valor, 28 escravos (número considerável para os padrões da época). Com o passar do tempo e das gerações, a propriedade ficou nas mãos do conhecido Coronel Pedro Resende Maia e atualmente pertence ao Senhor Hélio Augusto Inácio. A fazenda é um dos atrativos para quem deseja conhecer a região dos Paulas e sua história.

 

ribeirao

Ribeirão de Santo Antônio

Minas Gerais é um estado arraigado de belezas e peculiaridades conhecidas mundialmente: religiosidade acentuada, paisagens montanhosas a perder de vista, biscoitos caseiros, trilhas verdes para cavalgadas, cachoeiras, entre tantas outras atrações. Sentimos essa “mineiridade” em Resende Costa, uma bela e interessante cidade mineira, que se destaca pelos seus encantos interioranos e pela receptividade calorosa de seu povo.

Resende Costa tem como identidade a simbiose urbano/rural. A história da cidade está intrinsecamente ligada ao desenvolvimento do campo, pecuária e artesanato, que surgiu no meio rural. Nesta reportagem, que tem como objetivo apresentar uma comunidade rural, dentro do projeto “Conheça o nosso Município”, mostraremos um pouco do que há de melhor nos nossos povoados: história, atrações turísticas, curiosidades… Conheça um pouco do Ribeirão de Santo Antônio.

A história do povoado Ribeirão de Santo Antônio está ligada diretamente à formação das grandes fazendas, na segunda metade do século XVIII, com destaque para a fazenda Ribeirão (antigamente chamada de fazenda Ribeirão da Serra), fazenda do Catimbau e fazenda das Éguas.

 

Monumento a José de Resende Costa (Pai)

A estátua de José de Resende Costa foi esculpida em cimento pelo artista são-joanense “Miguel Santeiro”. O escultor se inspirou no resultado da reconstituição da face do Resende Costa, realizada por cientistas da Unicamp. Já o projeto do monumento teve a assinatura do arquiteto Fábio Silva, da cidade de Ritápolis

 

Campos Gerais

Os Campos Gerais não se apresentam como os povoados rurais do Ribeirão de Santo Antônio, Cajuru, Pintos e tantos outros que já passaram por esta série de reportagens. Explicando um pouco melhor, podemos dizer que o nosso enfoque de pesquisa deste mês se encontra basicamente constituído por uma pequena capela entremeada a muros de pedras, provavelmente frutos do trabalho escravo, sem domicílios distribuídos de forma conjunta ao seu redor, localizado a aproximadamente 10 Km de Resende Costa.

Quem visita este lugarejo se depara com resquícios da história mineira do século XVIII. Infelizmente só podem ser vistos os vestígios da Fazenda dos Campos Gerais da Laje, que pertenceu ao Inconfidente José de Resende Costa (Pai), é o que podemos dizer de mais esta degradação de parte do nosso passado colonial. Além de ter originado a localidade, a propriedade foi palco de reuniões que arquitetaram a Inconfidência Mineira, e das conseqüentes prisões do Capitão José de Resende Costa e de seu filho, de mesmo nome. A importância histórica da Fazenda dos Resende Costa é indiscutível, nos remonta a uma conjuntura sócio-política de idealismos, sonhos e lutas que simbolizam o “levante” de 1780.

Pois bem, convidamos você, caro leitor, a se deleitar com a história da Fazenda dos Campos Gerais, ou pelo menos, com alguns comentários que pretendemos escrever neste artigo. Ah! Como sugestão, posso propor um passeio a cavalo, que perpassa uma “cava” (caminho usado por cavaleiros, carreiros e candieiros em tempos que não existiam estradas para automóveis), àqueles que são amantes de uma bela cavalgada pelas trilhas mineiras de Resende Costa. Caminhos estes que nos levam a paisagens deslumbrantes.

 

Fazenda da Laje

Praça Mendes Resende

Localizada atrás da Igreja Matriz, é um ótimo lugar para relaxar sentado sob as sombras das árvores. Possui um amplo espaço, onde as crianças gostam de brincar.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha de França

Em 1749 foi erguida uma capela no alto das Lages em honra a Nossa Senhora da Penha de França. Dessa antiga capela restaram somente algumas paredes e o altar-mor que abriga a imagem da padroeira. O templo foi erguido por provisão de 12 de dezembro de 1749 a pedido de João Francisco Malta e outros. Era uma filial da Matriz de São José Del Rei, atual Tiradentes (MG).

Em 1900 foi erguida uma igreja visando ampliar a antiga capela. A igreja foi edificada toda em pedra e possuía somente uma nave, seus cômodos laterais funcionavam como sacristias.

Era mais baixa do que a igreja atual, e em seu interior encontravam-se somente três altares, o principal e dois laterais.

Na década de 1930 essa igreja foi demolida dando lugar a atual Matriz. Os únicos bens que restaram foram o altar-mor, o lustre central, imagens e oratórios. As paredes do presbitério ainda são da antiga igreja ou mais provavelmente pertenceram à antiga capela de 1749.

A atual Matriz preserva um estilo único, pois em seu interior encontram-se elementos barrocos e neo-góticos, sendo assim, podemos caracterizá-la como eclética, no que tange ao estilo arquitetônico. O altar-mor da Matriz é em estilo barroco, provavelmente do fim do século XVlll. Conta-se que este altar é uma cópia do altar da igreja do Rosário de Tiradentes, uma vez que Resende Costa, antes de 1840 pertencia à Paróquia de Santo Antônio, em Tiradentes.

No teto da igreja encontram-se pinturas em tela representando anjos segurando medalhões com dizeres em latim sobre a Virgem Maria. No teto do altar-mor o destaque é para a belíssima pintura de Nossa Senhora da Penha de França e do lado oposto a ela uma outra pintura representa a cidade de Resende Costa em cima de um monte. Nas laterais da igreja vitrais doados por coronéis e famílias tradicionais da época representam cenas da vida de Maria e de Jesus. No interior da Matriz ainda possui dois altares laterais, um dedicado a Nossa senhora das Graças e o outro a São José.

Em sua torre a igreja preserva o antigo sino que traz o brasão da coroa portuguesa e também o sino principal de 1900 (data da segunda igreja) com a imagem de Nossa Senhora da Laje, além de mais dois sinos. A igreja ainda possui um relógio movido à manivela, datado de 1914, ainda em funcionamento.

A imagem da padroeira, Nossa Senhora da Penha de França, foi esculpida no fim do império de Pedro I pelo padre Antonio de Pádua (não se sabe ao certo quem foi este sacerdote) no casarão da chácara Dr. Gervásio e atualmente ocupa o lugar mais alto do altar-mor da Matriz.

A capela foi elevada a curato por decreto imperial de 14/07/1832. No dia 03/04/1840 o curato foi elevado a freguesia (paróquia), com o titulo de Nossa Senhora da Penha de França do Arraial da Lage. Seu primeiro vigário foi o padre Joaquim Carlos de Resende Alvim, neto do inconfidente José de Resende Costa Pai.

 

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Localizada próxima a uma das mais antigas e belas árvores da cidade, a Igreja do Rosário festeja todos os anos a Mãe do Cristo com o título de Senhora do Rosário. Segundo a tradição oral dos fieis da cidade, desde 1902 ocorre com a presença de Congados a festa religiosa mais popular do município, além da Semana Santa.

Durante o mês de Outubro, as missas durante a semana, são celebradas na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, onde acontecem as orações do tríduo em preparação para a festa, precedidas pela Santa Missa.

Também não se pode deixar de falar da “festa de rua”, que conta todos os anos com a presença de muitas barraquinhas que vendem roupas, calçados, ferramentas, brinquedos, etc.

 

Teatro Municipal de Resende Costa

No dia 19 de dezembro de 2012, as portas do Teatro Municipal, construído no início do século 20, foram novamente reabertas aos Resende-costenses. Uma ampla reforma, que durou cinco meses, deixou o teatro em condições dignas de abrigar espetáculos artísticos.

 

Cachoeira dos Pintos

É uma das preferidas pelos visitantes, uma vez que é de fácil acesso, e conta com um restaurante próximo.

Localizada a aproximadamente 15km do centro da cidade.

 

cachoeira da jacarandira

Cachoeira de Jacarandira

Endereço: 42 km da sede. / Distrito de Jacarandira.
Descrição: É uma das mais altas do município, sendo de grande exuberância.

 

cachoeira do tabuado

Cachoeira do Tabuado

Endereço: Fica a 32 km do centro de Resende Costa. Povoado de Tabuado.
Descrição: É uma cachoeira de grande beleza e muito frequentada, principalmente pelos moradores do município de Entre Rios de Minas.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cachoeira Moreira

Endereço: Próximo ao Ribeirão de Santo Antônio. Fazenda Moreira.
Descrição: Não possui estrutura para receber turista. Precisa de guia para acesso ao local, que deverá ser autorizado pelo proprietário.

 

Serra do Mané Chico

Descrição: Na Serra há estações de Via Sacra ao longo do caminho para o mirante. No mirante há um cruzeiro onde é celebrada missa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Serra dos Galga

Endereço: A Serra separa o Distrito de Jacarandira do resto do município de Resende Costa.
Descrição: Com altitude em torno de 1.200 a 1.300 metros é o principal ponto de relevo, cuja importância se dá pelo fato de ser divisor de águas, impondo um cenário de rara beleza e singularidade única nos seus aspectos de flora e fauna.

 

 

 

Fontes: www.connhecer.tur.br

http://www.pousoeprosa.com.br/

 

Copyright © GUIA DA ESTRADA REAL - O seu guia de bolso