Pontos Turísticos – Piranga

Cachoeira De Zé De Arminda

cachoeira-ze-de-arminda

É a cachoeira mais famosa da região. Possui este nome devido ao fato de estar na área da propriedade do senhor Zé de Arminda, como é conhecido na região.

Devido ao fato do córrego passar por outras propriedades, e havendo nelas criações de porcos, as águas encontram-se poluídas. Não é recomendável o banho em suas águas. A cachoeira encontra-se em área particular, por isto, é importante telefonar para a secretaria de cultura, para verificar a viabilidade da visita. O estacionamento é para pequenos veículos. Para veículos de maior porte, a cachoeira encontra-se próxima a BR-482, sendo que estes podem estacionar à beira da estrada. O bar encontra-se próximo ao atrativo. este bar possui sinuca e bebidas em geral.

ENDEREÇO: Próximo a BR-482 Sentido a Cidade de Conselheiro lafaiete

.

Jequitibá dos Palmares

jequitiba

A árvore foi plantada pelos escravos alforriados para comemorar e eternizar sua liberdade. Localizada na região do Palmeiras, onde está situado o antigo Quilombo de Santo Antônio do Guiné Piranga, a árvore possui 23m de altura, 6,20m de circunferência e mais de 300 anos. O símbolo de liberdade é imune ao corte por ser protegido pela lei orgânica do município.

.

Rio Piranga

rio-piranga

Descrição: O rio Piranga nasce no município de Ouro Preto, próximo do distrito de Santa Rita de Ouro Preto, com o nome de rio Pirapitinga, deságua no rio Turvo. O rio Piranga é afluente do rio Doce. Ele possui 320Km da nascente até se tornar Rio Doce. É um rio de pequeno porte, com a presença de uma vegetação rasteira, muitos bambuzais e pequenas árvores nas suas margens. Atualmente encontra-se poluído com uma enorme quantidade de lixo nas margens. Com várias cachoeiras e pontos para banho. No local existem duas cachoeiras. A cachoeira da Vargem Grande distante 2Km e a cachoeira dos Pinheiros Altos (dentro do distrito). O rio foi descoberto pelos bandeirantes, na última década do século XVII. Ele é utilizado para esportes radicais como rafting e caiaque.

ENDEREÇO: Marginal da cidade

.

Serra Do Gago

Descrição: É possível avistar vários morros da Serra do Espinhaço, avista-se à noite várias luzes das cidades. A serra possui altitude de quase 1.000m.

ENDEREÇO: Região da Vila do Carmo / Caminho velho de Bacalhau

.

Capela de Nossa Senhora do Rosário

igreja-de-n-sra-do-rosario

As informações históricas sobre a capela de Nossa Senhora do Rosário de Piranga são bastante precárias. É possível que a capela tenha sido reconstruída em meados do século XVIII. Em 1658 já são arrolados em livros, os recibos da Irmandade do Rosário. Sabe-se que a capela sofreu ampla reforma datada de 1883, conforme inscrição na arcada do coro, quando foram provavelmente abertas da nave. Dando prosseguimento a estes serviços, em 1892 o retábulo-mor foi entalhado, não se tendo notícias do destino dado ao altar original.

A capela de Nossa Senhora do rosário dos Pretos do antigo Arraial Guarapiranga é um exemplar típico da linguagem arquitetônica difundida no século XVIII, por todo o vale do Rio Piranga. Diversas alterações introduzidas no transcurso do tempo prejudicaram bastante a unidade interior. A capela está situada em uma área plana, precedida de uma quadra livre, gramada. A fachada apresenta duas janelas no coro, uma porta central avantajada e proporções inteiramente ajustadas aos condicionantes locais. Com este modelo básico foi composta a grande maioria das fronteiras minerais e com ondulado miúdo de capas e bicas. Em síntese a composição do frontispício aqui enfocado consiste em um retângulo colocado verticalmente, cansado pelo triângulo de empena e ladeado pelos painéis trapezoidais dos corredores, em combinações geométricas sinceras e de caráter simplificado. Os vãos encontram-se nas imediações do eixo vertical da fachada, com janelas rasgadas por inteiro. Para a colocação dos sinos são abertas janelas nos puxados laterais, de menores proporções do que as do coro. A portada é enriquecida com almofadas dispostas alternadamente na vertical e na horizontal. Evidencia-se na composição a alteração de alguns elementos como o acabamento do beiral e o fechamento do óculo. No primeiro caso, uma formação de friso recente substitui a cachorrada aparente, provavelmente à solução original.

Concluindo, a novidade do frontispício do Rosário de Piranga e a inserção da fachada do templo entre os painéis dos corredores, a exemplo das fachadas de duas torres, porém, com a eliminação destas, ficam apenas seus painéis inferiores arrematados pelo prolongamento das águas do telhado da nave.

O traço essencial desta composição consiste no emprego do partido das igrejas mineiras da primeira fase do barroco.

A nave compõe-se de dois retábulos em posição chanfrada ao arco-cruzeiro, sendo estes dois altares ricamente decorados. Confeccionados ao gosto rococó, sobressaem-se pelo esmero da talha e elegância de suas linhas. O do lado do evangelho, sob a invocação de Nossa Senhora do Carmo, foi dourado e pintado por Manoel da Costa Athaíde em 1800, e o outro, dedicado a São Francisco, é atribuído ao mesmo artista. São delimitados por pilastras misuladas, ornadas de folhas estilizadas. O camarim de amplas dimensões, apresenta perfil arrematado por enrolamentos e folhas, guardando escalonado em 3 níveis com faces decoradas. Na capela, hé corredores laterais que se abrem para a nave e a capela-mor. Numa composição bastante simplificada, quase despojado de ornamentos, o altar-mor apresenta pilastras sustentadas por misulos. No entablamento, as pilastras internas se prolongam em pilastras de dimensões reduzidas, que dão origem a dossel com safenas, disposto de forma linear, apresentando ligeiro movimento no eixo da volta do camarim. A sacristia coloca-se aos fundos, também de acordo com o protótipo da igreja luso-brasileira elaborado no seiscentos, aqui em Minas Gerais, difundido no século seguinte.

.

Capela De Santo Antônio

capela-de-sto_antonio

Descrição: A capela foi construída na primeira metade do século XVIII. Ela situa-se na rua principal do lugarejo, com um pequeno adro, cercado por um muro e uma escadaria de frente, tudo em pedra sabão, revelando em limo e musgo, a idade do pequeno templo. A fachada compõe-se de corpo único, com porta central almofadada em duas folhas de cedro, vitral central, duas janelas laterais em guilhotina com três balaústres em cada uma, e possui na lateral direita superior um sino: telhado em seis águas. Possui uma cruz de madeira em cima do telhado. No interior da igreja um bonito coro de balaustrada torneada.

A nave é simples com dois púlpitos de notável elegância. O altar-mor muito bem trabalhado possui a imagem do padroeiro. Capela-mor ladeada de sacristia e consistório. Merece destaque a pia batismal, esculpida num tronco de cedro e toda coberta de ouro.

A nave é simples com dois púlpitos de notável elegância. O altar-mor muito bem trabalhado possui a imagem do padroeiro. Capela-mor ladeada de sacristia e consistório. Merece destaque a pia batismal, esculpida num tronco de cedro e toda coberta de ouro.

A Capela de Santo Antônio foi construída por um rico fazendeiro da região de sobrenome Bacalhau. Às primeiras notícias referentes à capela datam de 1725, quando em 05 de maio foi concedida licença para reconstrução do antigo templo. Sabe-se que em 1729 já respondia as suas funções religiosas, sendo registrada celebração de casamento a 20 de fevereiro daquele ano.

Em 1737, a capela passou por reforma, visando dotá-la de cômodo aos habitantes para assistirem aos ofícios divinos. É possível que esta obra tenha se estendido até 1743, executada pelo sargento João Medeiros.

Segundo informação local, por volta de 1940, o tempo teve o corredor reconstruído à semelhança do corredor existente na lateral direita.

A capela dedicada à Santo Antônio, construída no antigo Arraial do Bacalhau é um notável exemplar de arquitetura religiosa de médio porte produzida no período aurífero em Minas Gerais.

Possui características funcionais a plásticas inteiramente ajustadas à linguagem arquitetônica difundida no Vale do Rio Piranga, que constitui uma variante própria no quadro da arquitetura colonial mineira. O traço essencial dessa composição consiste no emprego de elementos da primeira fase do barroco Mineiro.

ENDEREÇO: Praça Bom Jesus s/n – Santo Atº Pirapitinga – Zona Rural

.

Coreto

coreto

Descrição: Pilares metálicos redondos sustentam a cobertura em cimento e alçam do chão o peso coberto por ladrilhos hidráulicos com desenhos nas cores marfim e bordô. A iluminação fica nos beirais sob pequenas peças decorativas. Houve uma restauração feita em 1995/96. Foi construído em 1923 pelo artista Rafaello Julianni, depois naturalizado brasileiro Rafael Juliano. O coreto é situado no centro da praça Coronel Amantino e possui um jardim em seu entorno.

ENDEREÇO: Praça Coronel Amantino – Centro – Piranga MG

.

Igreja Nossa Senhora Da Boa Morte

igreja-nossa-senhora-da-boa-morte

A Capela de Nossa Senhora da Boa Morte é uma construção de meados do século XVIII, época da fundação do povoado de Guarapiranga. A capela mantém ainda o tipo das rurais portugueses, com duas meias torres laterais e duas janelinhas no centro da fachada. O corpo da capela é alongado para os fundos, demonstrando ter sofrido vários acréscimos. A nave é ampla, com galerias laterais em baixo e em cima. Os altares mor e lateral não apresentam obra de grande valor artístico.

O município de Piranga teve grande representatividade na formação do estado de Minas Gerais. na cidade foram deixados bens de natureza material e representativo do período colonial e imperial que podem ser facilmente identificados à capela de Nossa Senhora da Boa Morte, embora tenha passado por modificações, faz parte deste conjunto arquitetônico que o município deseja proteger e preservar.

A edificação mantém sua integridade estética/formal e físico/construtiva. Os diversos elementos compositivos da capela encontram-se bem conservados.

ENDEREÇO: Rua Vereadora Maria Anselmo s/n

.

Praça Coronel Amantino

praca

A praça Coronel Amantino Maciel se destaca na paisagem da cidade pelas suas dimensões, que lhe conferem certa imponência, e pelo casario de interesse histórico-arquitetônico e funcional de entorno, o qual configura em centro histórico. Ela tem formato retangular com as quinas arredondadas, cujos lados são cercados por ruas com calçamento de pé de moleque. O piso da mesma é revestido com pedra São Tomé e a calçada que margeia a praça é de concreto, com largura aproximada de 1,2 metros. A praça é arborizada, há espécies de grande porte, inclusive palmeira, e a vegetação se distribui por vários canteiros delineados com muretas de concreto.

Os equipamentos urbanos no interior da mesma consistem em bancos de concreto, alguns com inscrição indicando o nome do doador, dois telefones públicos e lixeiras. No centro da praça há um coreto em estilo eclético, em bom estado de conservação. No piso deste, em ladrilho hidráulico disposto como mosaico, há inscrição com a data de 1920, provavelmente a data da construção do mesmo. Destacam-se no coreto elementos decorativos, como o guarda-corpo em balaustrada de madeira, o rendilhado sob a cobertura, possivelmente de ferro pintado de branco, bem como a cúpula bulbosa.

As construções no entorno seguem, em sua maioria, o estilo colonial, o que confere certa unidade visual ao conjunto, apesar de alguns imóveis terem as fachadas alteradas para o eclético ou o art. decó. A Igreja Matriz original, em estilo colonial, foi demolida na década de 60 e substituída por uma de linhas ousadas que contribui para a riqueza arquitetônica do espaço.

O Coronel Amantino Maciel, foi um homem muito importante da cidade, a quem Piranga deve muito. O Coronel Amantino Ferreira Maciel, nasceu em Piranga aos 25 de agosto de 1877, filho de José Álvaro Ferreira Maciel e de Dona Antônia Vidigal Maciel, e foi casado com Dona Regina de Aguiar Maciel. Faleceu aos 26 de abril de 1957, em Belo Horizonte, e dentre suas obras destaca-se: reconstrução da estrada Piranga-Mariana, construção do Fórum local, estrada de automóvel ligando Piranga ao distrito de Porto Firme, demanda da Estrada de Ferro Leopoldina em Viçosa, etc.

.

Santuário Bom Jesus do Matozinhos

santuario

Implantado sobre uma colina e composto pela igreja e um conjunto de casas baixas destinadas a abrigar romeiros nas épocas de festas, numa disposição que segue a tradição arquitetônica das capelas portuguesas de peregrinação devotadas ao Senhor Bom Jesus de Matozinhos.

Assim pode ser descrito o Santuário do Senhor Bom Jesus do Matozinhos, construído no Distrito de Bacalhau, no município de Piranga, Zona da Mata mineira.

Mais do que a talha, a pintura faz da capela uma obra evidentemente notável, tanto entre os exemplares regionais quanto no quadro geral da arte mineira.

Toda a obra do Santuário, foi executada sob a responsabilidade de Francisco Xavier Carneiro, um dos expoentes do Ciclo Rococó da pintura mineira.

Em seu acervo artístico destacam-se as imagens dos apóstolos São Pedro e São Paulo, executadas pelo Padre Félix Antônio Lisboa, e a de Nossa Senhora das Dores. As três imagens foram colocadas no altar-mor, em 1804.

Em 1781 foi contratada a construção do retábulo da capela-mor com o entalhador José de Meirelhes Pinto pela Irmandade Bom Jesus de Matozinhos, que tinha entre seus participantes ativos, a família do capitão Luiz da Costa Athaide, pai do famoso mestre Manoel da Costa Athaide.

A construção do Santuário durou cerca de seis décadas. A demora aconteceu por causa da carência de recursos financeiros e pela dificuldade no transporte dos materiais que vinham de lugares distantes como o Rio de Janeiro, de onde procediam produtos tais como folhas de ouro, tintas e vidros.

Em 1810 a obra da Capela do Bom Jesus estava bem adiantada e os trabalhos de arquitetura foram concluídos ao longo dos 10 anos seguintes.

Hoje, o Santuário é aberto em época de festas religiosas e celebrações. No entanto, pode ser visitado a qualquer momento, já que a chave fica com algum morador da comunidade, sempre disposto a abrir as portas para os visitantes.

.

Fonte: http://www.citybrazil.com.br/

 

 

Copyright © GUIA DA ESTRADA REAL - O seu guia de bolso